"O IFRIT" em 1001 caracteres

Como um demônio que brota no ermo; uma ventania fantasmagórica rompe a quietude escaldante em um mar de areia, ergue-se como um gênio recém liberto de sua prisão por algum incauto viajante que; vislumbrado por uma urna encantada, a abre em busca de tesouros fabulosos.
 
ifritMas não há tesouros, apenas um Ifrit; de temperamento infernal e hálito escaldante, na forma de uma tempestade que segue, veloz e furiosa. Ela avança por centenas de quilômetros acompanhada por relâmpagos e trovoadas, sufocando rebanhos de cabras, evaporando riachos e lagos nos oásis por onde passa, escavando terrenos baixos e fazendo brotar ali novas nascentes. As pequenas criaturas escavam túneis, onde buscam abrigar-se deste Ifrit voraz que caminha como uma grande muralha de detritos; uma nuvem de sedimentos que lança às sombras aquilo que encontra pela frente.
 
Apenas quem conta com a sabedoria dos povos acostumados aos espíritos do deserto; e seu temperamento, sabem como sobreviver à sua ira.
 
Esta é a Tempestade de Areia!
 

Comentários

Populares

Personagens femininas, uma lista

Poema O Ogro Montês

Os Demônios de Ergatan: Uma verdade além da névoa da fantasia

Minha foto
Éder S.P.V. Gonçalves
Oz, São Paulo, Brazil
Em uma cabana na montanha vive um monstro. A criatura selvagem é um ficcionista perigoso; escreve poema, romance e também conto. Em tom sério (e às vezes também com humor) fala sobre fantasia, mistério e terror. Mil hobbys ele tem; até desenvolvedor de jogos, podcaster e programador. De vez em quando se veste de humano e anda por cidades cinzentas só para saber como é viver em um cenário de horror. Este é um perigoso Ideário, pois é o caderno de anotações de um monstro polimático.