Crônicas de um Autor Independente: novidades sobre A Rua dos Anhangás

source.gif
O dia 31 de Outubro deste ano foi muito inspirador (em vários sentidos) para o meu trabalho literário... Vi caminhos inusitados nessa estrada da publicação independente e também revisitei caminhos esquecidos (e que já foram tão familiares para mim em uma época que eu não tinha a tecnologia e o conhecimento adequados para por mãos à obra).
Hoje eu tenho a tecnologia — e estou adquirindo; com a prática, o conhecimento — para dar uma nova dimensão ao meu trabalho como autor.
Eu não tive tempo de escrever um conto novo para o mês do horror. Mas, enquanto eu planejava uma forma de levar A Rua dos Anhangás para mais leitores (através do WattPad) eu pensei: e se...
Ao invés de pensar em escrever um novo conto, eu criar uma nova edição para esse conto? Mas não uma edição qualquer... Eu pensei em criar uma edição de "luxo" independente.
Será que isso seria possível, lançando mão do Clube de Autores e dos meus conhecimentos com arte digital?
Teria de ser uma edição que fizesse jus à temática que a história aborda e que transpirasse o mesmo clima que desejei dar à história.
Na verdade, esse é um dos poderes da publicação independente: você é literalmente independente para fazer o que quiser, da forma que achar melhor.
Foi assim que este meu pequeno conto de terror ganhou não apenas uma capa nova, como também toda uma arte gráfica para compor o miolo do livro.
Ainda faltam alguns retoques finais, mas em breve vocês terão uma edição de "A Rua dos Anhangás" que deixarão qualquer hematofóbico tremendo dos pés à cabeça.
Claro que esta é a minha primeira "edição de luxo independente" e por isso arrisco chamá-la de edição experimental. Veremos como ela fica impressa (talvez eu grave um vídeo sobre isso).
Dessa forma, A Rua dos Anhangás estará disponível em vários formatos e com vários preços (sempre com o intuito de alcançar mais e mais leitores).
Vejamos abaixo:
Versão WattPad - O conto está na sua versão mais básica, não possuindo o texto do Prefácio e nem a sessão de Agradecimentos (eu recomendo os dois textos, pois, modéstia parte, ambos são ricos em informações pertinentes à motivação que me levou a escrever o conto);
Versão eBook: O conto está em formato epub e possui a sessão do Prefácio e Agradecimentos (além disso, em breve a versão ebook contará também com um texto inédito onde explico as bases folclores que usei para construir essa minha interpretação do nosso folclore indígena);
Versão comum (Preto e Branco): Esta é a versão comum, com o miolo em preto e branco. Contém todo o conteúdo original do livro (o Prefácio e Agradecimentos);
Versão de Luxo: Está é a mais nova edição de A Rua dos Anhangás. Além de possuir o conteúdo completo e original do conto (o Prefácio e Agradecimentos), esta versão possui toda uma arte gráfica no miolo do livro (como ilustrações e um trabalho gráfico criado para complementar a experiência do leitor). Há ainda um item especial nesta edição; um segredinho que talvez não escape aos mais atentos (e eu não vou dizer o que é, para não estragar a surpresa).
Em breve postarei mais informações sobre a nova edição de A Rua dos Anhangás.



E se vocês não acreditam em assombração, aconselho que pensem melhor sobre isso...

Comentários

Populares

Personagens femininas, uma lista

Poema O Ogro Montês

Os Demônios de Ergatan: Uma verdade além da névoa da fantasia

Minha foto
Éder S.P.V. Gonçalves
Oz, São Paulo, Brazil
Em uma cabana na montanha vive um monstro. A criatura selvagem é um ficcionista perigoso; escreve poema, romance e também conto. Em tom sério (e às vezes também com humor) fala sobre fantasia, mistério e terror. Mil hobbys ele tem; até desenvolvedor de jogos, podcaster e programador. De vez em quando se veste de humano e anda por cidades cinzentas só para saber como é viver em um cenário de horror. Este é um perigoso Ideário, pois é o caderno de anotações de um monstro polimático.