Poema: Hoje é sexta-feira 13 e a lua está cheia

Lua Cheia no Jardim Santa Maria em Osasco - SP

Evite qualquer escura e erma senda. Hoje é sexta-feira 13 e a lua está cheia. Escute os ecos sussurrantes se arrastando em suas entranhas. Tenha medo, pois você deve. Hoje é sexta-feira 13 e a noite guarda muita coisa estranha. Recolha-se bem cedinho, e se algeme à algum grilhão. O mau em seu estômago geme, à espera de um empurrão. Para romper a epiderme de cordeiro, como um lobo zombeteiro, à soprar uma frágil cabana de palha; e revelar o seu segredo, um bicho cujo caráter é só um malicioso amontoado de lodo e de falha. Pode gritar bem alto, camarada, mas não adianta pedir socorro. A lua cheia te observa, mas não liga para o seu sufoco. Não venha se lamuriar. Não venha fazer queixa. Para começar, hoje é sexta-feira 13 e a lua está cheia. Você bem sabe. Eu te avisei. Sobre estes seus abismos interiores. Estão lotados e possuídos, por muita coisa feia.

Se quer um conselho, eu vou lhe dar. Deixe a coisa fluir. Deixe a coisa caminhar. Ponha para fora, esse uivo estrangulado. E respire o ar da noite. Deixe a fera desabafar, exalando o seu hálito de sangue. Hoje a lua cheia cai na sexta-feira 13, por tanto a noite é de lobisomem.

Olá padre Roberto

Há muito não lhe escrevo, caro amigo.

Mas, em se tratando de um dia tão especial, não poderia deixar de lembrar de você. Sei que, apesar de tudo, você não gosta muito da sina que carrega. Mas acredite, se você não for um guardião em sua pequena montanha, não sei mais o que é um guardião. Lembre-se que violência pode ter bom uso e, neste caso, não há nada melhor que um lobo para proteger as ovelhas boas das ovelhas más.

O poema acima são alguns versos que aprendi com as corujas daqui da Montanha. Eu lhe dedico esses versos.

Mande lembranças minhas ao Isac — o carteiro nunca consegue achar a caixa de correio desse nosso endiabrado amigo.

Um grande abraço.

Ass.: o Ogro Montês 


Você pode saber mais sobre o meu amigo padre Roberto lendo A Rua dos Anhangás (mas só se você quiser e gostar de histórias macabras).

Caravana Sombria

No PodCast Caravana Sombria é possível ouvir algumas histórias tenebrosas que se passam na rua dos Anhangás e seus arredores. Abaixo alguns episódios já disponíveis. Em breve novas histórias serão publicadas sobre esse lugar tão interessante e assustador.


Algumas luas cheias que já registrei no Santa Maria em Osasco




Comentários

Populares

Personagens femininas, uma lista

Poema O Ogro Montês

Os Demônios de Ergatan: Uma verdade além da névoa da fantasia

Minha foto
Éder S.P.V. Gonçalves
Oz, São Paulo, Brazil
Em uma cabana na montanha vive um monstro. A criatura selvagem é um ficcionista perigoso; escreve poema, romance e também conto. Em tom sério (e às vezes também com humor) fala sobre fantasia, mistério e terror. Mil hobbys ele tem; até desenvolvedor de jogos, podcaster e programador. De vez em quando se veste de humano e anda por cidades cinzentas só para saber como é viver em um cenário de horror. Este é um perigoso Ideário, pois é o caderno de anotações de um monstro polimático.