Poema O Ogro Montês

Um Ogro se esconde atrás do tronco de uma árvore e, ao fundo, é possível ver sua cabana entre as árvores e mais além uma densa mata e no horizonte as montanhas e uma noite estrelada de lua cheia

O Ogro Montês

Não, não vá por aí.

Não seja tolo.

Em uma grande cabana na montanha vive um ogro.

Ele parece um sujeito cortês, mas não se engane, é um Ogro Montês.

Não ultrapasse os limites do vale.

Se algum estranho falar com você, não responda, não fale.

Não suba muito alto na montanha.

Lá acontece muita coisa estranha.

Esse Ogro é perigoso (qual não é?).

Você não quer correr riscos (É verdade ou não é?).

Histórias ele irá te contar e com isso irá te hipnotizar.

Quando perceber, já não haverá volta; o Ogro terá te levado para o fundo de alguma de suas tocas.

Claro. Tudo isso é bobagem.

Não dê muita atenção a estes avisos...

Afinal, nesta vida, não ganha grande coisa, quem não corre alguns riscos...

Eu sou o vulto assustador que habita os lugares ermos.

Escrevi esse poema em um momento de inspiração e o guardei para ser usado em algum trabalho futuro. Hoje este momento chegou e este poema faz parte do trailer do meu Podcast Caravana Sombria ☺:


Comentários

Populares

Personagens femininas, uma lista

Os Demônios de Ergatan: Uma verdade além da névoa da fantasia

Minha foto
Éder S.P.V. Gonçalves
Oz, São Paulo, Brazil
Em uma cabana na montanha vive um monstro. A criatura selvagem é um ficcionista perigoso; escreve poema, romance e também conto. Em tom sério (e às vezes também com humor) fala sobre fantasia, mistério e terror. Mil hobbys ele tem; até desenvolvedor de jogos, podcaster e programador. De vez em quando se veste de humano e anda por cidades cinzentas só para saber como é viver em um cenário de horror. Este é um perigoso Ideário, pois é o caderno de anotações de um monstro polimático.