Crônicas de um Atuor Independente: Novidades de Fim de Ano

Para as minhas amigas e amigos; que se dispuseram a enveredar pelas desérticas terras do Oeste de Hudan, as minhas mais sinceras saudações.

 
Há tempos que não trago notícias daquele planeta longínquo e que, à esse despeito, é tão parecido com o terceiro planetinha do sistema Solar: a Terra. Falo, como bem se lembram, de Bars.

Agradeço a todos que acompanharam os "Rumores" deste meu projeto literário e que eu chamei, por mais de dois anos, de "Saga Rumores". Mas o fato é que o projeto já não é mais um rumor; é agora um plano concreto, plano este chamado de Caotéia, ou a "Teia do Caos".
 
Mas calma, isso não significa que abandonei as minhas ideias iniciais ou que estou abandonando alguma coisa que já escrevi a respeito do mundo de Bars. É justamente o contrário que está ocorrendo: a mudança de nome tem o objetivo de permitir abarcar um maior numero de assuntos nesta saga literária; o que é essencial para poder retratar um mundo tão vasto quanto o que vocês conhecerem na companhia do primeiro "Leão de Aeris" nas dunas poeirentas do Vauandusalan di Gon.

Além do nome da saga, a série também está passando por uma grande mudança em sua arte conceitual, e isso inclui uma grande reformulação visual do primeiro livro, que agora passa a se chamar apenas "Leão de Aeris" e conta com uma nova arte de capa, a qual visa passar a exata imagem que a série pede: a de que o gênero de Fantasia é também uma temática SÉRIA, capaz de abordar questões profundas e pertinentes a todas as pessoas. Como por exemplo, a cegueira moral — um dos grandes pilares abordados em "Leão de Aeris":

Vós sois tolos! Teu imperador é tolo! Tu és tolo! Mesmo depois de ver a verdade com teus próprios olhos não é capaz de reconhecê-la?...
INST 1.jpg

Falar em "Fantasia Séria" é mais que um pretexto para deixar a capa mais bonita (e acreditem, ela está); esse é acima de tudo um dos meus maiores pilares com a escrita destes livros: a de veicular, através da fantasia, tudo aquilo que fala aos corações valorosos; que sabem que o mundo é muito mais que aquilo que os olhos comuns são capazes de perceber. Fico feliz por saber que não são poucas as pessoas de coração valoroso que olham para o infinito em busca de outros mundos, nos quais possam exercer um pouco da real essência que carregam em seus corações.

Mas será que eu consegui levar essa história a todos que pudessem ter algum interesse nela? Será que conseguirei levar o próximo livro a mais pessoas?

Tornar essas histórias mais acessíveis tornou-se uma meta necessária para que esta saga pudesse alcançar novas dimensões. Afinal, um projeto dessa natureza não pode permitir que barreiras de qualquer tipo fiquem em seu caminho.

Neste sentido eu precisava ir além de uma plataforma puramente comercial para me publicar: não sou contra ver e vender o livro como um produto (pois sem isso é difícil fazê-lo chegar para muitas pessoas); mas é verdade também que um livro é bem mais que um mero produto, é mais que puro comércio. Um livro é uma arma poderosa; é um veículo fabuloso, que se propõe a romper barreiras e levar seu usuário para qualquer tempo e espaço. Ser um autor independente, neste contexto, é um privilégio: ser capaz de fazer uma pessoa viajar para alguns bilhares de quilômetros em direção aos confins do universo conhecido (ou até para um desconhecido) trata-se de uma façanha fascinante.


Acessibilidade. Eis a palavra a ser perseguida. Mas por qual caminho?


O primeiro passo nesse sentido foi ir além da Amazon como solução de publicação e distribuição; não tenho nada contra a Amazon, pelo contrário, ela facilitou muito a publicação independente. Tanto que "Leão de Aeris" continuará disponível lá. Mas a publicação independente não pode ficar restrita a apenas um canal; o público é muito diverso e nem todos leem no Kindle (seja no dispositivo, no aplicativo, no navegador, etc), e essa diversidade precisa ser levada a sério e considerada como essencial para fazer com o que o livro chegue a mais pessoas. Assim sendo, vou disponibilizar "Leão de Aeris" também em outros canais; tanto na versão impressa, como na versão eBook. Isso vai valer também para todos os livros da saga Caotéia.

E por falar em "toda a saga", não é mais apenas com "Leão de Aeris" que a série conta; a continuação está caminhando para a reta final do processo de revisão. E para quem estava esperando um pequeno conto ambientado no mundo de Bars, espero não desapontá-los com um conto pelo menos cinco vezes maior que o primeiro livro (isso mesmo, cinco vezes maior que "Leão de Aeris"). Espero que isso compense e justifique o tempo que levei para trazer as novidades.

Agora falemos um pouco sobre o segundo passo para ampliar o acesso a essas histórias: falo da distribuição gratuita de outros formatos e versões. Ao contrário de um livro impresso, um livro digital é mais maleável e admite um sem numero de formatos e versões (como PDF, ePub, Mobi, Áudio Book, etc); e cada um destes formatos e versões possuem suas características e qualidades próprias.

O áudio livro é um desses formatos que possibilita o consumo de histórias de forma versátil e ágil. Irei, no futuro, disponibilizar a saga Caotéia em formato de áudio no Youtube e, quem sabe, no SoundCloud, no Dizzer, etc. Ainda estou estudando como isso poderá ser feito e qual é a melhor forma de fazê-lo (desde de que a solução encontrada cumpra a premissa de não custar nada para o leitor/ouvinte dessa modalidade).

Há ainda mais uma coisa que eu posso fazer para ampliar a distribuição dessas histórias: são as versões de amostra do livro digital.

Geralmente essas versões de amostra são muito resumidas (como leitor, eu particularmente não gosto quando a amostra de um livro não contempla; na íntegra, sequer o primeiro capítulo da obra). Quanto a isso, pretendo deixar versões de amostra com tamanho considerável dos livros da saga Caotéia disponíveis na minha conta do WattPad: algo em torno de um terço ou um pouco mais.

Eu acredito que versões de amostra são uteis por várias razões: permite ao leitor avaliar o potencial de uma obra sem compromisso (sem custo): conhecer o estilo de um autor, avaliar se um livro é de fato do seu agrado. Caso o autor/livro passe no filtro do leitor, ele poderá decidir mais confortavelmente se está disposto a gastar para consumir aquelas histórias na íntegra.

Mas não é só de amostra que viverá o meu WattPad; também vou... Ou melhor, já estou disponibilizando na minha conta alguns microContos (fora do universo da saga Caotéia) para quem quiser ler e conhecer o meu texto — e como sabem, no WattPad a leitura não tem custo nenhum para o leitor, mas o autor pode beneficiar-se muito dessa ferramenta para chegar a um numero maior de leitores: e o mais importante, obter a opinião e as impressões destes e com isso fazer crescer a sua escrita.

Além destes microContos, vez ou outra irei selecionar alguns textos experimentais do universo de Caotéia para deixá-los disponíveis por tempo limitado em datas especiais (fiquem de olho, pois esse Haloween de 2018 promete surpresas).

E quanto ao novo livro de Caotéia? Haverá amostra do mesmo no WattPad?

Sim, com certeza haverá. Ainda não tenho certeza sobre quantos dos 22 Capítulos ficarão disponíveis no WattPad (mas pretendo manter a meta de liberar um terço da obra gratuitamente). Logo mais darei início às postagens (ainda neste ano de 2018), como parte de um processo de divulgação do novo livro (processo que começará com o anúncio do nome da obra; estou ansioso para isso).

Resumindo então, temos as seguintes novidades neste fim de ano:

    • Mudança visual do projeto;

    • O projeto de desenvolvimento da saga agora tem um nome oficial: Caotéia;

    • Livro novo está 99% concluído;

    • Os livros estarão disponíveis (físico e eBook) em outras lojas além da Amazon (ainda não tenho a lista de todas, mas logo mais darei detalhes);

    • Futuramente uma versão em áudio dos livros será disponibilizada inteiramente de graça na internet (Youtube, SoundCloud, Deezer, etc);

  • Conta do WattPad irá conceder acesso gratuito a microContos completos, amostras dos livros de Caotéia e alguns textos especiais do universo expandido de Caotéia na íntegra (por período de tempo limitado);

Com tanta novidade, criei uma nova página no Facebook para abarcar todas essas mudanças. Essa página nova me permite abranger muito mais do que apenas um livro. Me sigam lá também para não perderem nenhuma novidade.

Falando em seguir, também acompanhem o meu blog, pois é nele que centralizo tudo agora: todas as minhas mídias sociais, artigos e novidades do projeto.

Além disso, estou procurando compartilhar um pouco do que eu leio com aqueles que
me leem. Acompanhem o meu diário de leitura lá no Instagram (ederspvg).



Até a próxima.

Comentários

Populares

Personagens femininas, uma lista

Poema O Ogro Montês

Os Demônios de Ergatan: Uma verdade além da névoa da fantasia

Minha foto
Éder S.P.V. Gonçalves
Oz, São Paulo, Brazil
Em uma cabana na montanha vive um monstro. A criatura selvagem é um ficcionista perigoso; escreve poema, romance e também conto. Em tom sério (e às vezes também com humor) fala sobre fantasia, mistério e terror. Mil hobbys ele tem; até desenvolvedor de jogos, podcaster e programador. De vez em quando se veste de humano e anda por cidades cinzentas só para saber como é viver em um cenário de horror. Este é um perigoso Ideário, pois é o caderno de anotações de um monstro polimático.