O Maior Tigre dente de Sabre caminhava pelas terras brasileiras, e não era um Tigre...

Durante as minhas investigações sobre a megafauna para escrever o segundo livro da série Fogos-Fátuos, acabei descobrindo que o Tigre Dente de Sabre não é um Tigre (ele sequer é parente dos felinos atuais).
Além disso, não havia apenas uma espécie de "Dente de Sabre" (a ciência já registrou fósseis de subespécies diferentes, como o Smilodon Fatalis e o Smilodon Gracilis).
A maior subespécie conhecida, o Smilodon Populator, chegava a pesar 400 Kg e vivia no território da América do Sul (inclusive, os primeiros fósseis do Populator foi encontrado em Lagoa Santa, em Minas Gerais).
Imagine agora os nossos ancestrais (milhares de anos no passado) tendo de conviver com este predador à espreita por aí!
Seria possível domesticar um animal desse tipo? Eramos presas assim tão fáceis para ele? De que armas nossos antepassados dispunham para enfrentar esse "Desafio" com uma par de dentes do tamanho de facões de 28 cm e patas dianteiras capazes de derrubar os grandes mamíferos da megafauna?
Minha cabeça pega fogo só de pensar em um cenário como esse e fico logo com vontade de escrever sobre isso.
Para saber mais visite a página de onde tirei muitas informações sobre esse "bichinho simpático":
Imagem relacionada

Recomendo também essa excelente trilha sonora no Youtube

Comentários

Populares

Personagens femininas, uma lista

Poema O Ogro Montês

Os Demônios de Ergatan: Uma verdade além da névoa da fantasia

Minha foto
Éder S.P.V. Gonçalves
Oz, São Paulo, Brazil
Em uma cabana na montanha vive um monstro. A criatura selvagem é um ficcionista perigoso; escreve poema, romance e também conto. Em tom sério (e às vezes também com humor) fala sobre fantasia, mistério e terror. Mil hobbys ele tem; até desenvolvedor de jogos, podcaster e programador. De vez em quando se veste de humano e anda por cidades cinzentas só para saber como é viver em um cenário de horror. Este é um perigoso Ideário, pois é o caderno de anotações de um monstro polimático.