Como usar categorias no Blogger?

 

Em uma mesa de madeira há um caderno aberto com uma caneta sobre ele, acima do caderno há um conjunto de etiquetas de papelão e à direita dessas etiquetas há uma xícara branca com café

🔎💻🔍

Como manter seu conteúdo classificado com clareza?

Olá;
Que tal tirarmos o dia (ou a semana, ou ainda o mês) para reorganizar o Blog?

Pois é, organizar um Blog é parecido com fazer uma faxina e reorganização na casa: não é tarefa fácil e, na verdade, pode ser algo muito trabalhoso... Ainda assim é algo vital para o nosso bem estar e para que a nossa "Casa" ou "Blog" funcionem bem ao seu propósito: ser um espaço confortável e funcional para as nossas necessidades (sejam elas quais forem).

No que diz respeito ao Blog, é importante que este seja otimizado para os motores de busca (como Google, Bing, etc) o encontrem. Este é o famoso SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para mecanismos de Busca). E se você tem um Blog (ou site) já deve ter ouvido falar disso.

Como o objetivo desse post é ajudar (mesmo que só um pouco) quem escreve (escritores e escritoras) e usa essa ferramenta chamada BLOG como um aliado neste árduo ofício, vou falar um pouco sobre a importância de categorizar um Blog para um SEO bem feito.

Escrever (seja um livro, conto ou poema) já não é algo fácil e manter um blog também não é. Seja o intuito do Blog servir como um diário online, ou como uma forma de publicar suas obras, ou um meio para se manter em contato com seus leitores ou ainda uma soma de todas os objetivos anteriores, então é preciso saber que além das questões relacionadas à escrita em si, também é preciso considerar essas questões de desempenho do Blog em si, de modo que seja possível usar os mecanismos de busca a seu favor.

Afinal, um dos principais motivos de um Blog ser uma excelente ferramenta de apoio para escritores e escritoras, é que ele em si é uma plataforma de publicação e, por isso, é possível conseguir levar através dele os seus textos para o mundo: seja postando suas histórias no próprio Blog ou seja divulgando seus livros publicados em outras platafomas através dele.

Durante muito tempo eu não dei importância para esse tal de SEO. Meus motivos eram que eu já tinha pouco tempo para escrever e pensar em minhas histórias: a minha produção literária já ocupava o meu tempo vago.

Mas, o fato é que se você não focar nisso, o Blog não vai dar o retorno esperado e você vai acabar se sentindo frustrado ou frustrada com isso.

A boa notícia é que, ao contrário do que eu imaginava, SEO não é um bicho de sete cabeças e nem toma tanto assim do nosso tempo na hora de publicar nossos posts e organizar nosso Blog.

Mas, é claro que isso se você encontrar algum guia intuitivo e/ou suficientemente claro de como se faz isso.


Inclusive o próprio Google possui uma documentação para ajudar os iniciantes no assunto.

Mas, o meu foco aqui é explicar como usar categorias no Blogger. Eu digo isso poque o Blogger não possui suporte a "Categorias" e "Tags". Ele possui apenas "Marcadores" e dessa forma, fica a dúvida: como uso os marcadores para criar categorias, sub-categorias e tags no meu blog?

Existe uma forma "melhor" de fazer isso? E uma forma "pior"? E porque devo me preocupar em categorizar o conteúdo do meu Blog?

Vou começar pelo mais básico...

Em uma mesa de madeira é possível ler a palavra Blog escrita com peças quadradas

Qual a importância de uma boa categorização?

As categorias de um Blog (ou site) são utilizadas pelos motores de busca (como o Google, Bing, etc) para descobrir sobre o que é o Blog. Com isso ele consegui "indicar" o seu Blog nos resultados de busca quando alguém pesquisa algum conteúdo na internet relacionada aos temas de que o seu Blog trata.

Ou seja, se eu categorizar o meu blog bem, então vai ser mais "fácil" para o Google indicar ele para quem está buscando conteúdo relacionada ao tema sobre o qual você escreve.

Por outro lado, se você criar milhares de "marcadores" para os posts do seu blog, os mecanismos de busca vão ficar "confusos", pois não conseguiram compreender muito bem qual é o tema central do seu blog e quais são os sub-temas de que ele trata e, com isso, pode ser que o seu conteúdo não seja indicado quando alguém pesquisar sobre ele.

Um exemplo para ilustrar essa questão é a seguinte:

Imagine que você é um robô e sua função é sair na rua entrevistando pessoas a fim de traçar o perfil sobre elas para saber com o que elas trabalham e no que elas são boas. O objetivo disso é montar um banco de dados de possíveis "prestadores de serviço" para quando perguntarem para você onde conseguir profissionais para realizar um determinado trabalho.

Neste caso você entrevista uma pessoa que chamaremos de Fulana_A. Através das suas perguntas você descobre que ela gosta de pintura, tem experiência em pintar casas e é capaz de indicar trabalhos que ela já realizou na área e além disso mostra que está antenada sobre as novidades nessa área (como novas tecnologias de tinta, pincéis e rolos e etc). Você também descobre que ela gosta de passear com seu cachorro nos finais de semana.

Se eu fosse o robô entrevistador e criador de perfis, iria classificá-la como uma "pintora" no bando de dados, ainda que ela tenha interesse em cachorros e caminhada. Acredito que você faria o mesmo.

Caso alguém te pergunte se você conhece algum pintor ou pintora para indicar para um trabalho, você vai encontrar essa pessoa Fulana_A no seu banco de dados e vai rapidamente indicá-la.

O mesmo vai ocorrer com as demais pessoas... Se elas categorizarem bem os seus interesses para responder às perguntas durante a entrevista, vai ficar mais fácil traçar um perfil sobre elas.

Vai ser mais fácil para você (um robô entrevistador) criar um banco de dados classificando as pessoas conforme esses perfis.

Que tipo de perguntas o robô entrevistador faz?

Simples: do que você gosta? sobre o que você entende? quais são seus interesses? que área ou áreas você domina? como gosta de passar o tempo? etc

O importante é obter o máximo de informação que permita cruzar as respostas e traçar um perfil.

Agora, imagine que você (robô entrevistador) se depara com alguém chamado Fulano_B.

Fulano_B gosta de fazer pão, gosta de pintar quadros, arrumar circuítos eletrícos, desenhar mangás e quadrinhos, é versado em matemática estatísca, tem experiência em fabricar bolinhas de gude e consegue listar clientes que já teve quando construía barcos, adora gatos, já estudou veterinária, viajou pela China e tem grandes habilidades com origami e culinária mexicana...

Como você (um robô entrevistador) vai classificar essa pessoa?
Ela tem um perfil que se adequa a que tipo de necessidade?
Quando alguém precisar de um profissional para realizar um serviço de pintura, você vai indicar a primeira pessoa que você entrevistou ou essa segunda?

Tenho certeza de que para um serviço de pintura você vai indicar Fulana_A.

Quanto a Fulano_B, vai ser difícil encontrar alguma solicitação de serviço que requeira alguém com o exato perfil dele...

E é por isso que o seu Blog tem que ser bem categorizado.

Isso não quer dizer que você não pode ter um blog que fale sobre vários assuntos. Pelo contrário, se for um blog pessoal é esperado que você fale sobre a sua vida e o esperado é que sua vida tenha histórias sobre uma porção de coisas.

Mas, caso você seja um escritor ou escritora, vai querer ser encontrado por assuntos relacionados à sua literatura (seja você um escritor de poemas, romances, diários, manuais, contos, etc).

Neste sentido, vai precisar dizer ao robô entrevistador como você quer ser visto por ele.

Tomemos como exemplo novamente o Fulano_B. Suponhamos que Fulano_B queira ser um cozinheiro. Neste caso, ele precisaria responder ao robô entrevistador de uma forma que enfatize o que ele quer ou pelo menos qual é o principal tema em sua vida. Suponhamos que o Fulano_B queira ser cozinheiro e montar o seu próprio restaurante. Dessa ponto de vista, uma forma de responder ao robô entrevistador seria:

Eu gosto de fazer pão e tenho grandes habilidades com culinária mexicana. Sonho em ter um restaurante decorado com quadros pintados por mim mesmo. Já desenhei quadrinhos com temática relacionada a culinária. Já trabalhei com elétrica, fabricando bolinhas de gude e até mesmo construí barcos enquanto viajava pela China. Em minha vasta experiência de vida eu sempre busquei aprender a culinária dos lugares onde estive e durante todo esse tempo eu cozinhava a minha própria comida. Com meu conhecimento em estatísca, acredito que vou ter sucesso em meu restaurante. Isso vai deixar meu gato Xerxes feliz: eu gosto de gatos e cuido muito bem do meu, pois já estudei veterinária, mas descobri que o que gosto mesmo é de cozinhar.

Claro que não há uma forma certa ou errada de se apresentar e com isso mostrar quem você é e o que você quer. Mas acredito que com a resposta acima, o robô vai classificar o Fulano_B para um perfil de cozinheiro e, por mais que possam haver outros cozinheiros com mais experiêncie que Fulano_B na área, ainda assim Fulano_B tem maiores chances de ser indicado quando alguém precisar de algo na área culinária e, de um certo modo, a experiência "eclética" de Fulano_B pode às vezes até torná-lo uma indicação mais interessante para algum determinado nicho de cliente.

Sei que o assunto parece chato e difícil, ainda mais com o uso de termos como candidato, cliente e nicho.

Mas acho que com o exemplo acima, ficou um pouco mais claro para que servem as categorias em nossos Blogs: são elas que permitem aos robôs dos mecanismos de busca traçar o perfil dos nossos Blogs.

Você também viu com esses exemplos que mesmo um Blog com conteúdo "eclético" pode direcionar isso para um tema mais "especifico".

Para conseguir fazer isso, você precisa responder a uma pergunta: o que você quer conseguir com seu Blog?

Lembre-se, porém, que isso não significa restringir sobre o que você vai falar em seu Blog (ainda mais se for um Blog pessoal), mas simplesmente que as categorias e o direcionamento do conteúdo devem estar apontando para a resposta da pergunta acima, que seria o "tema" central.

Agora, quais categorias você pode criar no seu blog é algo que só você vai conseguir responder, após refletir e rascunhar bastante (num papel, bloco de notas do windows, excel ou onde achar melhor).

No final desse post, vou mostrar como organizei o meu Blog após dias pensando no assunto e um final de semana trabalhando arduamente em reorganizar as categorias dos meus posts.

Agora vamos voltar para a pergunta central do post...

Etiquetas em um caderno estilo fichário

Como fazer isso no painel do Blogger?

Antes de seguir com a linha de raciocínio, vou mostrar onde você insere e/ou altera os marcadores de uma postagem, para o caso de você ser novo ou nova no Blogger e não conhecer ainda onde fica cada coisa nessa plataforma. Se você estiver confuso ou confusa e estiver perguntando "não iamos falar sobre categorias? Então porque agora surgiu um tal de marcadores? ", eu peço calma, pois tudo será explicado.

Acontece que no Blogger usamos "marcadores" e não categorias ou tags... Mas logo mais vamos abordar isso. O importante é que você entenda que os "marcadores" são como etiquetas que podemos usar para organizar nossas postagens (como etiquetas de supermercado, de folhas de fichário ou qualquer tipo de etiqueta que queiramos usar para organizar o que quer que desejemos).

Sendo assim, antes de voltar para o conceito de categorias, vamos ficar um pouco com os "marcadores" (que serão nossas categorias) e ver como usamos esse recurso na prática (antes de abordarmos a teoria).

Primeiro, existem duas formas de inserir e/ou alterar os marcadores de uma postagem... Na verdade, existe também uma terceira forma: que permite inserir marcadores em várias postagens ao mesmo tempo (mas não vou falar sobre isso hoje, logo vamos focar nas duas primeiras formas).

A primeira forma é abrindo a postagem, seja ela uma postagem nova ou uma postagem já publicada que você queira alterar. Veja na imagem abaixo:

Estapa 1 do guia
passo 1: clique em nova postagem ou abra uma postagem já existente

Conforme a imagem acima, basta clicar no botão nova postagem ou clicar sobre uma postagem já existente (já publicada ou rascunho). Em seguida, vamos para o próximo passo, conforme a próxima imagem:

Estapa 2 do guia
passo 2: clique na caixa "marcadores" e digite os marcadores desejados

Conforme é possível na imagem acima, após aberta a postagem (nova ou não), será possível ver no canto superior direito (circulado e marcado em amarelo na imagem) a caixa "marcadores". Basta clicar nela e literalmente digitar os marcadores desejados. Caso o marcador não exista, basta digitar o nome desejado. Caso vá utilizar vários marcadores, basta separá-los com uma vírcula (sem usar espaço entre as palavras e as vírgulas). Caso o marcador já existe, conforme você digitar a palavra, o auto-completar do Blogger irá exibir uma lista de palavras correspondentes e você poderá clicar naquela desejada.

Após finalizar a sua postagem e a escolha dos marcadores, basta clicar em publicar e/ou atualizar a postagem.

Agora vamos para a imagem abaixo, onde vemos como é possível modificar os marcadores de uma postagem sem precisar abrir a mesma:

Estapa 3 do guia
passe o mouse sobre uma postagem e você verá o botão indicado pela seta amarela

Conforme a imagem acima, vemos que aqui nós não iremos criar uma nova postagem, mas sim modificar os marcadores de uma postagem já existem sem abrir a mesma. Para isso passe o mouse sobre a postagem desejada e você verá um botão (como o indicado pela seta amarela).

Clicando no referido botão (indicado na imagem acima) irá surgir uma caixa de texto, conforme a próxima imagem:

Estapa 4 do guia
basta digitar e/ou alterar os marcadores nessa caixa, separando-os por vírgula

Agora é só editar os marcadors conforme desejado. Para isso basta digitar os nomes desejados, criando novos marcadores (apenas digitando o nome que você quer usar) e separando os marcadores (caso vá usar mais de um) separando-os com uma vírgula. No exemplo na imagem acima, estou demonstrando os marcadores dessa postagem em específico. Repare que está escrito CADERNO DE ANOTAÇÕES,Memorandos.

Eu escolhi esses nomes de propósito: o marcador que está escrito todo em caixa alta representa a categoria de nível superior, enquanto que o marcador "Memorandos" representa uma sub-categoria dentro de "CADERNO DE ANOTAÇÕES".

É importante frisar que os marcadores são separados por vírgulas, mas não há espaços entre a vírgula e a próxima palavra...

Mas o intuíto desse post não é discutir exatamente a forma prática como se usa os marcadores no Blogger, e sim como é possível trabalhar com categorias em uma plataforma que em "tese" não possui esse recurso.

Como citei anteriormente, o Blogger não dá suporte para "categorias" propriamente falando. Ele tem um recurso chamado "marcadores" que seria o mesmo que "tags", ou seja, etiquetas com as quais posso marcar meus posts.

Porém, quando eu coloco etiquetas nas coisas, eu estou as categorizando, então de certa forma, não há diferença entre categorias, tags e etiquetas. Todas essas ferramentas servem para a mesma coisa: categorizar o conteúdo de um Blog e/ou site.

Então qual é o motivo da minha dificuldade de fazer isso no Blogger?

Bom, primeiramente porque a "categorização" em si sempre foi uma atividade complexa para mim. Sempre tive dificuldade em categorizar as coisas, simplesmente porque as coisas podem pertencer a categorias diferentes e que não são mutuamente excludentes.
Neste caso, definir uma hierarquia de classes para categorização é algo vital e, mesmo assim, ainda haverão situações em que as coisas que queremos categorizar quebram as regras do nosso complexo e intrincado sistema de categorização...

Em outras palavras, eu sempre compliquei demais as coisas quando o assunto é categorizar.

Mas há também outro motivo para eu não conseguir fazer isso muito bem no Blogger.

Eu passei um tempo (um bom tempo) usando o Wordpress antes de voltar definitivamente para o Blogger. Esse tempo lá no Wordpress com certeza me deixou um pouco confuso, pois enquanto o Wordpress tem ferramentas para se criar Categorias, Sub-Categorias e também Tags (tudo separado, como se fossem coisas diferentes e, de fato lá elas são diferentes) e nos permite classificar nossas postagens conforme essa hierarquia rígida, no Blogger nós temos apenas "Marcadores".

Mas afinal, qual seria diferença entre essas coisas?

Isso eu já respondi: no final, não há diferença. Mas, vamos entender como o Wordpress torna um pouco diferente o uso dessas várias "etiquetas":

Categoria: é um macro assunto dentro do Blog (ou site). Por exemplo: Literatura e Animês;
Tags: são etiquetas usadas para classificar os posts em um nível de detalhes maior. Por exemplo, para as categorias que citei como exemplo anteriormente (Literatura e Animês) nós podemos ter as seguintes tags (ou etiquetas):

  • Literatura:
    • Autores;
    • Livros;
    • Contos;
    • Poemas;
    • Gêneros Literários...
  • Animês:
    • One Peace;
    • Yu Yu Hakusho;
    • Sailor Moon;
    • XXX Holic;
    • Dragon Ball;
    • Cavaleiros do Zodiaco...
Ou seja, enquanto a Categoria é um TEMA dentro de um Blog ou Site, as Tags (ou etiquetas) são assuntos específicos que pertencem a um determinado tema.

No WordPress você precisa criar uma estrutura rígida de "etiquetas" e isso facilita a classificação dos posts...

Mas, no final, você pode etiquetar seus posts lá de qualquer jeito (por exemplo marcando a tag One Peace e a tag poemas), embora fazer isso não seja recomendado.

Mas, conforme expliquei antetiormente, o Blogger não possui um mecanismo de Categorias e Tags. Ele possui apenas "Marcadores" e, dessa forma, eu preciso usar esse recurso de uma forma um pouco diferente, criando a hierarquia entre esses marcadores de forma manual.

Como assim de forma manual?

Simples, enquanto que no Wordpress eu posso criar categorias, sub-categorias e ainda tags, no Blogger eu não tenho como pre-definir uma hierarquia rígida entre as Categorias e Etiquetas criadas.

Ao invés disso, preciso lembrar (ou ter anotado) quais "Marcadores" estão subordinados a outros "Marcadores" na hora de usá-los, para evitar usar um mesmo marcador em "categorias" diferentes.

Talvez seja preciso dar um exemplo de como isso funcionaria no Blogger de forma prática. Vejamos abaixo:

Marcador Reflexões: vou usar esse marcador como uma Categoria cujo tema central são as minhas reflexões sobre diversos assuntos;

Marcador Leituras: vou usar esse marcador como uma Categoria cujo tema central são as minhas leituras; sejam de livros, mangás ou o que quer que seja;

Marcador O Conde de Monte Cristo: vou usar esse marcador como uma sub categoria, focada apenas no livro "O Conde de Monte Cristo".

Bom, como visto, eu descrevi 3 marcadores acima e, pensando friamente, posso usar o marcador "O Conde de Monte Cristo" com qualquer um dos outros dois (tanto "Reflexões" como "Leituras"), afinal, eu posso escrever um post que seja uma reflexão sobre uma passagem do livro "O Conde de Monte Cristo" como posso fazer um post falando sobre a leitura que estou fazendo desse livro, com comentário, destacando frases, etc...

Mas esse é o problema: eu posso usar um marcador junto a outro, mas NÃO devo.

Na minha estratégia de organização, vou definir uma hierarquia rígida e para poder segui-la, preisarei anotá-la em algum lugar e me lembrar dela quando eu for categorizar um post.

Por exemplo:

  • REFLEXÕES
    • Reflexões Sociais
    • Reflexões Pessoais
    • Reflexões Políticas
  • LEITURAS
    • O Conde de Monte Cristo
    • As Mil e Uma Noites
    • O Senhor dos Anéis

A lista de tópicos e sub tópicos acima mostra claramente que só poderei usar o marcador "O Conde de Monte Cristo" junto com o marcador "Leituras". Ou seja, qualquer post que eu faça sobre "O Conde de Monte Cristo", seja o registro de uma frase, um comentário sobre o livro, uma resenha ou mesmo uma reflexão (que seja focada no livro) eu irei categorizar com os marcadores "LEITURAS" e "O Conde de Monte Cristo".
Agora, seu eu fizer um post refletindo sobre o egoísmo na sociedade contemporânea (mesmo que eu cite uma passagem de O Conde de Monte Cristo, mas mantedo o foco do texto no "egoísmo da sociedade" e não na leitura de O Conde de Monte Cristo), então irei categorizar esse post com o marcador "REFLEXÕES".

O segredo é esse: vença a vontade de permitir que as coisas perteçam a mais de uma categoria. Elas até podem no mundo real ser categorizadas de várias formas que não sejam mutuamente excludentes.

Mas a questão não é essa: a questão é qual é o seu foco? Qual é a sua estratégia?

Lembre-se da nossa cobaia Fulano_B. A segunda forma como o apresentamos leva em consideração que ele quer ser cozinheiro, então ele precisa criar categorias macro em sua apresentação que levam os outros aspectos da sua vida para o seu objetivo (mesmo que os outros aspectos possam ser classificados de outras formas).

Vamos criar outro pequeno exemplo, imaginando que Fulano_B está criando um Blog com o intuito de abrir um restaurante e cozinhar.

Ele deveria criar categorias focadas em seu objetivo e eu imagino que essas categorias poderiam ser algo assim:

  • Restaurante
    • Planejando o restaurante dos sonhos
  • Receitas
    • Aprendi viajando
    • Prato mexicano
    • Pães
  • Minhas histórias de vida
  • Fotos do meu gato Xerxes
  • Meus quadrinhos sobre culinária

Claro que o Blog de Fulano_B não vai falar apenas sobre culinária. Ele tem outras histórias para contar, tem seu gato de estimação e tudo o mais. Mas, com a organização acima ele já conseguiu direcionar o conteúdo do seu Blog para a Culinária de um tal modo que os mecanismos de busca vão entender sobre o que é o Blog, e vão indicá-lo quando alguém pesquisar sobre receitas e, porque não, quando alguém pesquisar fotos de gatos também.

Se o Fulano_B quiser postar uma história engraçada sobre quando ele viajava pela China ou arrumava circuitos elétricos, ele vai com certeza classificar isso em "Minhas histórias de vida". Agora, se ele quiser fazer um post ensinando uma receita que ele aprendeu de um eletricista em Pequim, certamente ele vai classificar isso em "Receitas" e "Aprendi Viajando".

Com isso ele vai (mesmo no Blogger) manter uma hierarquia clara em seu conteúdo.

Voltando a questão sobre como fazer isso no Blogger: a solução que eu encontrei foi ter anotada a minha estrutura hierárquica e, quando for fazer uma postagem eu vou consultá-la para não acabar classificando um post de forma incorreta.

Acho que a próxima e última pergunta sobre esse tema (ao menos, que eu tenha condições de responder) seja...

Existe uma forma "melhor" ou "pior" de categorizar um Blog?

Ou, colocando em palavras mais simples...

Uma mesa branca com cadernos, xícaras e canetas

Qual é a melhor forma de por isso em prática?

A resposta para essa pergunta é bem simples: não tem uma forma melhor ou pior de fazer isso. Pois tudo depende de cada caso.

Ainda assim, eu acho que consigo falar sobre o que funcionou no meu caso.

Trata-se da mesma estratégia que aprendi a usar em meus textos. Aliás, eu aprendi isso quando comecei a escrever contos para concursos. Acontece que nos concursos dos quais já participei, o conto tinha um tamanho máximo. Então, após escrever e escrever e escrever, eu tinha um conto maior do que o que era permitido e tinha que trabalhar reduzindo o texto o máximo possível mantendo o sentido das frases, o dinamismo e pricipalmente a "poética" da coisa toda.

Parece fácil, mas é uma das coisas mais difícieis (na minha opinião) de se fazer em um texto: otimizá-lo, reduzi-lo ao essencial, arrancar dele tudo o que é excesso...

Pode parecer que não, mas isso torna o texto muito melhor.

Da mesma forma é possível categorizar melhor um Blog: liste todos os temas que você gostaria de abordar em seu blog. Mas liste tudo mesmo: desde os grandes temas até os pequenos e esporádicos.

Após criar essa lista (que provavelmente vai ficar bem grande), você começa a agrupá-la em temas maiores.

Comece escolhendo os temas principais e, embaixo deles, os sub-temas.

Depois comece a cortar temas.

Isso mesmo, corte-os e corte-os e corte-os cada vez mais.

Defina uma quantidade máxima de temas principais. Acredite, dificilmente você precisará de mais do que dez. Aliás, estou falando em dez temas porque li esse numero em algum lugar... Mas dez já é muita coisa.

Se olharmos para a nossa cobaia Fulano_B, o esboço que fiz para o Blog dele tinha apenas cinco (e convenhamos, esse cara é bem eclético e tem muita história para contar). Seus temas principais eram Restaruante, Receitas, Minhas histórias de vida, Fotos do meu gato Xerxes e Meus quadrinhos sobre culinária.

Com cinco temas principais o Fulano_B vai poder "enquadrar" todos os aspectos que desejar da vida dele. Ele não precisa criar um tema para "construindo barcos", "manual de origami", etc. Todas essas coisas que não são necessariamente sobr o tema principal "culinária" ele pode enquadrar em "minhas histórias de vida".

Então, acho que a melhor forma de categorizar um Blog é se esforçando para manter essa estrutura de tópicos o mais "enxuta" possível. Quanto menor, melhor.

Aqui podemos evocar a máximo do exército Mongol: menos é mais. Procure atingir o máximo de resultado com a menor quantidade de elementos possível.

Claro, eu talvez esteja dando um bom conselho e um mal exemplo, pois apenas agora comecei a colocar essa máxima em prática no meu Blog.

Mas eu estou sempre buscando melhorar, aprender e tentando encontrar o melhor caminho para atingir os meus objetivos.

O principio do meu processo de aprndizado é esse: estudar, refletir, experimentar e persistir sempre.

O resultado da estrutura para o meu Blog, baseado em tudo o que eu falei acima você pode conferir aqui abaixo (mas lembre-se, ainda estou tentando melhorar essa estrutura):
  • OBRAS LITERÁRIAS
    • Livros: posts sobre meus livros (individuais ou sagas), onde apresento essas obras, trago curiosidades sobre elas, capítulos de amostra, etc.
    • Contos: posts sobre os meus contos e microcontos (ou mesmo os contos em si)
    • Poemas: posts com os poemas de minha autoria
    • Diário de Escrita e Produção: exercícios de criatividade, um diário sobre o progresso do meu trabalho, meu método de organização, Cartas, Anagramas, Opções de títulos, etc.
      • Exercícios de Criatividade
  • CADERNO DE ANOTAÇÕES
    • Memorandos: como adquirir um isbn, porque ter um blog, como transcrever texto em fala, evernote, scrum, como deixar o chrome no modo escuro, etc
    • Leituras: posts sobre o que estou lendo e/ou relendo no momento
    • Frases: as frases que eu destaquei das minhas leituras e que eu quero (ou não) comentar
    • Ilustrações: as ilustrações e esboços que eu fiz
    • Curiosidades: curiosidades sobre diversos temas (que me interessaram) e que posso usar como material (ou não) para minhas obras
  • PODCASTS
    • Caravana Sombria: os episódios do meu podcast
    • Café Holístico: os episódios do café holístico
  • BASTIDORES DO QUOTIDIANO
    • Desenvolvimento de Jogos: Space Punkers, Wana, Godot, UE, etc
    • Reflexões: sociais, políticas, filosóficas, etc
    • Atividade Física: kettlebell, caminhada, arco e flexa, basquete, etc
    • Entretenimento: Vídeo Game, Séries, Filmes, etc
    • Passeios: bienal, templo zulai, guaraú, etc
    • Obras das minhas filhas: poemas, desenhos, livros, etc
As minhas principais categorias são essas quatro: Bastidores do Quotidiano, Obras Literárias, Caderno de Anotações e Podcasts.
Com elas eu posso "enquadrar" qualquer tema que eu desejar. Por exemplo, se eu quiser contar um "causo" que aconteceu comigo, eu posso contar essa história na categoria "Bastidores do Quotidiano". Se foi durante um passeio eu uso ainda sub-catgoria "Passeios". Para falar de alguma atividade física que eu gosto muito, eu uso a sub-categora "Atividade Física" e se for para falar sobre algum assunto para o qual eu não tenho uma sub-categoria, eu deixo apenas em "Bastidores do Quotidiano". Essa categoria está ali para eu classificar tudo o que acontecer comigo no meu quotidiano e, por mais importante e especial que que tenha sido (como o nascimento da minha filha, o meu casamento ou quando minha sobrinha veio morar comigo), esse assunto ainda não é o foco do Blog e, por isso, é classificado como um assunto de bastidor do "meu quotidiano" ou se preferir, da minha vida.

Mesa de madeira com um caderno aberto e uma caneta sobre as páginas em branco

Conclusão

Bom, tudo o que falei nesse post este é apenas um exemplo do que é possível (e aconselhável do meu ponto de vista) fazer com o Blogger em termos de organização do conteúdo de um Blog ou Site usando marcadores para categorizar o conteúdo da forma mais enxuta possível.

Esse processo é muito importante para maximizar o que o seu Blog pode fazer por você (independente do resultado que você procura obter com ele).

Se você é escritor ou escritora e quer fazer do Blog sua plataforma de publicação, de marketing, de prática da escrita ou todas as anteriores, então é melhor se perguntar se você categorizou o seu conteúdo da melhor forma possível para atingir o seu objetivo.

Mas, antes disso se pergunte e tente responder qual é o seu objetivo com o blog (ainda que você precise de um tempo para responder isso).

Agora vou ficando por aqui.

Comentários

  1. Esse post me ajudou bastante a repensar o modo de organizar meu blog, antes de focar só na criação de posts. Uma pena o blogger não adotar o uso de Categoria, Sub-Categorias e Tags, seria um bom adianto! Não conhecia essa página de documentação do Google, ela é ótima! Você sabe se há alguma página desse tipo sobre o Blogger? É uma plataforma bem útil, mas difícil de encontrar sobre configurações e atualizações :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sarah. Fico muito feliz em saber que o post foi útil. Eu escrevi ele justamente por saber que o que mais importa para escritores e escritoras é a sua produção de conteúdo e, por isso, precisam simplificar as demais questões relacionadas a publicação de um blog (principalmente quando esses escritores não possuem uma equipe para ajudar). Quando a documentação que você perguntou, a respeito do Blogger, eu só conheço a página oficial de ajuda do Blogger (mas acho que essa documentação do Google poderia possuir mais conteúdo). Pesquisei para saber se existe algum outro material oficial do Google a esse respeito, mas por enquanto não encontrei. A ajuda do Blogger está no link: https://support.google.com/blogger/?hl=pt-BR#topic=3339243

      A propósito, gostei muito do seu blog Marde de Afrodite (aliás, eu gosto muito de Blogs pessoais e acho que a internet precisa de mais desse tipo de conteúdo). Você escreve muito bem e eu já me interessei pelo seu post sobre Carrie a Estranha (que eu ainda não li, mas sei algumas coisas sobre o livro porque estou lendo nesse momento "Sobre a Escrita" do Stephen King, onde ele conta algumas curiosidades sobre como foi a criação de Carrie).

      No mais, qualquer dúvida é só perguntar e ficarei feliz em ajudar no que estiver ao meu alcance 🤟

      Excluir

Postar um comentário

Minha foto
Éder S.P.V. Gonçalves
Osasco, SP, Brazil
É um ficcionista trevoso; escreve poema, romance e também conto. Mescla tom sério com humor ao falar sobre fantasia, mistério e terror. Mantém um blog onde posta textos por vezes sombrios e temperados com ácido humor.

Postagens mais visitadas deste blog

O Tigre, de William Blake

Filtrando pelo campo TSK_STATUS

Carmilla: a vampira de Karnstein

Hajime no Ippo e o Espírito de Desafiante

Como configurar os níveis de aprovação no app Meu RH da Totvs?

Drácula: é capaz de controlar os lobos?

Ticê: a feiticeira que se tornou a deusa do submundo

Sea Of Thieves: Skin do Kraken Tinto

Testando o MidJourney para criar uma capa para a Rua dos Anhangás

Nomes de gatos pretos: inspirações da literatura fantástica

📮 Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

👁‍🗨 MARCADORES

Curiosidades Leituras crônicas de escritor crônicas de um autor independente O Conde de Monte Cristo Alexandre Dumas filosofia Livros Entretenimento espada e feitiçaria Poemas Memorandos a rua dos anhangás histórias de mistério histórias de terror vampiros Fantasia Sombria folclore literatura gótica Caravana Sombria Contos halloween dicas diário Os Demônios de Ergatan histórias de fantasma lobisomens Bram Stoker Oitocentos Aromas de Devaneio PODCASTS escrita games histórias de aventura sagas Drácula O Leão de Aeris Psicotrápolas lendas lendas urbanas Histórias Sobrenaturais de Rudyard Kipling O Governador das Masmorras Rudyard Kipling Via Sombria conan exiles critica social kettlebell lua cheia micro contos natal sociedade Atividade Física Conan o Bárbaro Exercícios de Criatividade O Ventre de Pedra arqueologia feriado girevoy sport gyria inteligência artificial krampus krampusnacht masmorras paganismo papai noel séries xbox Robert Ervin Howard estrela negra folclore guarani ia liberdade melkor mitologia morte resenha séries de tv Capas Desenvolvimento de Jogos Ilustrações Os Segredos dos Suna Mandís Passeios Space Punkers cultura pagã era hiboriana game designer harpia histórias de horror histórias góticas hq humanidade personagens poema gótico política prisão quadrinhos As Aventuras do Caça-Feitiço Conto Diana Haruki Murakami História J.R.R.Tolkien Joseph Delaney O DIÁRIO DE IZZI Romancista como vocação Sandman V de Vingança Vampiros na literatura Wana anhangás animes aranhas arquivo umbra arte bruxas chatgpt criação de histórias cultura gótica estações do ano facismo fanfic fantasmas festividades gatos pretos godot jogos jurupari mangá mitologia brasileira netflix outono paródia protheus sexta-feira 13 superstições totvs vida vingança A Fênix na Espada Café Holístico Carmilla: a vampira de Karnstein Cristianismo Joseph Conrad Joseph Sheridan Le Fanu O Coração das Trevas O Homem Sem Memória O Mentalista Terry Pratchett age of war animes de esporte anotações bruxaria cadernos capa castlevania ceticismo conto de terror cotia crenças criatividade culto aos mortos demônios dia de todos os santos diabo drama educação engines evernote fantasia farmer walk ficção ciêntifica ficção fantástica folclore indígena fotografias funcom hajime no ippo horror cósmico indicação de séries inverno leitores listas lobos lua azul matrix megafauna mitologia indígena natureza notion objetos amaldiçoados opinião palácio da memória podcast ratos reforma sea of thieves sinopse templo zu lai tigre tutoriais utilidades viagem no tempo vila do mirante vlad tepes wicca Áudio-Drama A Arte da Guerra A Balada dos Dogmas Ancestrais A Cidade dos Sete Planetas A Sede do Viajante A Voz no Broche Age Of Sorcery Anne Rice Arthur C. Clarke As Sombras do Mal Bad and Crazy Barad-dûr Berkely Blog Breve encontro com Dracooh de Beltraam Bushido Canto Mordaz Carta Para um Sábio Engenheiro Cartas Chuck Hogan Daniel Handler Direitos Iguais Rituais Iguais Discworld Divulgação Doctor Who Eiji Yoshikawa Elizabeth Kostova Elric de Melniboné Entrevista com o Vampiro Full Metal Alchemist Gaston Leroux Genghis Khan Grande A'Tuin Guillermo Del Toro Hoje é Sexta-Feira 13 e a Lua está Cheia Johann Wolfgang von Goethe Joseph Smith Katana Zero Lemony Snicket Lestat de Lioncourt Lord Byron Lord Ruthven Louis de Pointe du Lac Mapinguari Michael Moorcock Michelly Mordor Musashi Na Casa de Suddhoo Na toca dos ratos letrados Nergal Novela O Escrínio de Pooree O Fabuloso Maurício e seus Roedores Letrados O Historiador O Hobbit O Jirinquixá Fantasma O Lobo O Lobo das Planícies O Mar O Mundo de Sofia O Ogro Montês O Primeiro Rato Letrado O Rei de Amarelo O Senhor dos Anéis O Sexo Invisível O Sonho de Duncan Parrennes O Tigre O Tigre e o Pescador Obras das minhas filhas Olga Soffer Os Incautos Os Livros da Selva Os Ratos Letrados Outono o Gênioso Oz Oz City Pedra do Teletransporte Polo Noel Atan Red John Rei Ladrão & Lâmina Randômica Robert William Chambers Rotbranch Samhain Sarcosuchusimperator Sobre a Escrita Sociedade Blake Stephen King Stranger From Hell TI Tevildo Thomas Alva Edison Tik Tak Tomas Ward Vida e Morte Wassily Wassilyevich Kandinsky William Blake Wyna daqui a três estrelas Yoshihiro Togashi Yu Yu Hakusho absinto aho aho akemi aleijadinho algoritmos alienígenas aluguel amazônia amor anagramas andarilhos animais de estimação animação anime ano novo aranha marrom aranha suprema arquétipo astronomia atalho atitudes autopublicação azar balabolka baladas banho frio banho gelado bicicleta bienal do livro biografia blogger boxe bugs caderno de lugar comum calçados militares caminhos escuros carlos ruas carnaval carta do chefe Seatle casa nova casas mal assombradas castelos castelos medievais categorias cavaleiro da lua celebrações pagãs chalupa chonchu chrome cidadania cientista civilização ciência condessa G condomínio configuração consciência conto epistolar coragem cordilheira dos andes crianças criaturas lupinas crimes cultura brasileira cultura otaku cárcere cães dark rider democracia deusa da lua e da caça dia das crianças dia de finados dia do saci dia dos mortos distopias doramas ecologia el niño ema encantos esboços escuridão espada espírito de luta espíritos exoplanetas falta de energia elétrica feiticeiras feitiçaria feitiços felicidade felipe ferri fome fonte tipográfica fonógrafo fortuna fundação japão game pass gratidão greve gênero hitória homens humor hábitos saudáveis ia para geração de imagens idealismo identidade igualdade de gênero imaginação imaterialismo inquisição jaci jaterê japão japão feudal jogos 2d jogos de plataforma jornada kami kraken kraken tinto labirintos labirintos 2D lealdade leitor cabuloso lenda guarani leste leviathan licantropia linguagem de programação literatura inglesa live action livros infanto juvenis loop lua de morango lugares mal assombrados lógica de programação malaquias mandalas matemática mawé mazolata mboi-tui meio ambiente melancolia memorização mercado de trabalho meu rh microsoft midjourney mitologia grega mitra mizu moccoletto mochila modelo de linguagem modo escuro molossus monograma monstros montanha morgoth morpheus moto motoqueiro mudança mudanças climáticas mulheres mundos método wim hof músicas neil gaiman noite eterna nomes de gatos pretos nona arte nostalgia o que é vida objetos mágicos ogros oração os sete monstros osamu tezuka patriarcado pena pensamentos perpétuos pesadelos pescador piedade pluto pod cast poderes povo nômade predadores prefácio primavera primeiras impressões problemas profecia pterossauro publicação independente qualidade de vida quarta parede reclamação reflorestamento religião religião de zath rio Pinheiros rio Tietê robôs roda do ano roma antiga romantismo cósmico romênia sacerdotisas de zath samurai de olhos azuis sarcosuchus Imperator saturnalia saturnália saúde segredos seres fantásticos serpente-papagaio sexo frágil sintetizador de voz smilodon sobrevivencialismo solstício solstício de inverno solstício de verão sonhar sophia perennis sorte suna mandís sustentabilidade série de terror tau e kerana teclado telhado telhas de pvc templo de hachiman tempo teoria das cores terror texto em fala ticê tigre dente de sabre totvs carol transilvânia travessão treinamento treino trevas trickster tumba de gallaman tv título um sábado qualquer universidades van helsing varacolaci vendaval verão vida em condomínio vigília da nevasca windows wombo art xamanismo xintoísmo ymir yule zath zoonoses águia ódio
Mostrar mais